Fechar [x]
PT | EN

Desempenho em 2017

Otimizamos a gestão dos negócios, em 2017, para seguir com o crescimento sustentável

Desempenho econômico e financeiro

Gerencialmente, o Grupo considera quatro setores de atuação: TIC, Agro, Turismo e Serviços. Para a consolidação econômico-financeira, devido aos critérios contábeis, o setor Turismo não é considerado, por ser uma joint venture com 50% de participação.

Em 2017, continuamos com nossos programas de eficiência operacional, otimizando a gestão dos negócios e ajustando portfólio para seguir com o crescimento sustentável. No setor de atuação TIC, a receita líquida cresceu 6,7%, e o lucro líquido, 25,1%. No consolidado do Grupo, apresentamos redução de 10,2% e prejuízo líquido de R$ 84 milhões, contra um lucro líquido de R$ 152 milhões no exercício anterior, puxados pelo resultado negativo do setor Agro, em função de baixas margens tanto nas vendas para o mercado externo (commodities de soja e milho) quanto para o mercado interno (farelo de soja e óleo). Conheça a seguir e nas próximas páginas os principais destaques do nosso desempenho em 2017. A íntegra de nossas demonstrações financeiras está disponível no site da Algar.

Receita operacional líquida

 

O grupo Algar registrou receita líquida de R$ 4.502 milhões em 2017, 10% menor em relação a 2016. A redução de R$ 509 milhões se deve ao setor Agro, que apresentou recuo de R$ 718 milhões (-31,5%), parcialmente compensado pela alta de R$ 171 milhões no setor TIC. A participação do setor TIC na receita consolidada aumentou de 51% para 60%. Em contrapartida, a participação do setor Agro diminuiu de 45% para 35%.

Os excelentes resultados do setor TIC se devem principalmente à estratégia de crescimento, que inclui expansão geográfica, revisão do portfólio de serviços, produtos e ofertas que permitem aumento da satisfação e fidelização. Já no setor Agro, os resultados se devem ao cenário mais desafiador no mercado externo, com alta competitividade.

Custos dos produtos vendidos e serviços prestados

 

O custo consolidado atingiu R$ 3.279 milhões em 2017, o que representa 72,8% da receita líquida, 4,1 pontos percentuais a menos que em 2016. No setor TIC, houve redução de 2,0 p.p. devido à continuidade da transformação digital, além dos programas de eficiência operacional. No setor Agro, foi registrado aumento de 1,8 p.p., em decorrência, principalmente, do aumento nos custos da matéria-prima e das pressões no mercado externo.

EBITDA ajustado e margem EBITDA

 

Nota: para efeitos de consolidação no balanço da Algar S.A., esse indicador sofre ajustes que refletem os impactos do hedge de soja e do câmbio do negócio Agro.A geração operacional de caixa medida pelo EBITDA consolidada somou R$ 663,9 milhões em 2017, recuo de 18% quando comparado aos R$ 811 milhões registrados em 2016.

O setor TIC isoladamente apresentou crescimento, com otimização de custos e mais eficiência operacional. No entanto, no setor Agro, o indicador foi negativo, reduzindo o EBITDA do Grupo. Dessa forma, a margem EBITDA em 2017 foi de 14,7%, com 1,5 ponto percentual inferior ao registrado em 2016.

R$ milhões 2015 2016 2017
Receita financeira 721 610 508
Despesa financeira (1.014) (892) (790)
Resultado financeiro (293) (282) (283)

Em 2017, o resultado entre receitas e despesas financeiras registrou despesa líquida de R$ 283 milhões, equiparado aos R$ 282 milhões de 2016, reflexo da redução nas taxas de juros, mesmo com o aumento do endividamento.

Resultado líquido e margem líquida

 

O grupo Algar apresentou resultado líquido, já considerando a participação em Turismo contabilizada como equivalência patrimonial, negativo em R$ 84,3 milhões em 2017, ante lucro líquido de R$ 152 milhões em 2016. Tal redução é decorrente do resultado negativo da Algar Agro – R$ 192,5 milhões.

Como forma de reverter os resultados operacionais negativos, a partir de 2018 a Algar Agro focará sua atuação no mercado interno, o qual possui melhores margens pelo valor adicionado no processamento da soja em farelo e óleo e pelos incentivos fiscais federais e estaduais. Além disso, a Companhia reestruturou as áreas operacionais e administrativas, com objetivo de reduzir e otimizar seus custos e despesas, e vendeu sua participação na Algar Farming à Algar S/A a preço de mercado.

Os setores TIC e Turismo apresentaram resultados positivos de R$ 230 milhões e R$ 32 milhões, respectivamente.

Endividamento

  Empréstimos Debentures Total

CP

LP Total CP LP Total
2017
TIC 88 102 190 226 1.150 1.376 1.566
Agro 1.150 303 1.453 1.453
Serviços 27 47 74 74
Total 1.265 452 1.717 226 1.150 1.376 3.093
2016
TIC 136 191 327 202 898 1.100 1.427
Agro 1.052 354 1.405 1.405
Serviços 5 20 25 25
Total 1.193 564 1.758 202 898 1.100 2.858

 

  2017
Perfil da divida bruta (R$ milhões) Empréstimos Debêntures Total
Curto Prazo 1.265 226 1.491
1 a 2 anos (2019) 293 223 516
2 a 3 anos (2020) 70 99 169
Após 3 anos (após 2020) 89 829 917
Total 1.717 1.376 3.093

A dívida bruta consolidada em 31 de dezembro de 2017 totalizou R$ 3.093 milhões, 8% superior ao encerramento do exercício de 2016. Entretanto, o endividamento líquido aumentou em menor proporção, de R$ 2.509 milhões para R$ 2.612 milhões no mesmo período, resultado do acréscimo no caixa consolidado.

 

Investimentos

Nossos investimentos, em 2017, totalizaram R$ 627,3 milhões, ante aos R$ 621 milhões desembolsados no ano anterior. Ao segmento TIC, foram destinados 87% desse montante, direcionados para a expansão – incluindo o cabo Monet – e modernização das redes, manutenção da operação e ampliação do negócio de Gestão de Clientes e Gestão de Serviços de TIC. Já os investimentos no segmento Agro, na ordem de R$ 44,3 milhões, foram aplicados, por exemplo, na melhoria da infraestrutura logística, em projetos de cogeração de energia, em eficiência operacional e na instalação de pivôs para irrigação das lavouras.

 

Demonstração do Valor Adicionado

O Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA) apresenta o valor econômico gerado pelas atividades da Empresa, incluindo os valores recebido de terceiros, como receitas financeiras e equivalência patrimonial, além de demonstrar como tais valores são compartilhados com a sociedade.

Em 2017, nossas atividades geraram o valor adicionado total de R$ 2.518 milhões, ante R$ 2.486 milhões em 2016. O índice de agregação de valor em relação à receita bruta obtida no exercício de 2016 foi de 45,8%, o que significa que a cada R$ 1 de receita bruta, a Algar S.A. distribuiu R$ 0,46 na sociedade. A maior parte foi direcionada a associados e ao governo.

DVA (R$ milhões) 2015 2016 2017
Receitas 5.625 5.973 5.499
  Vendas de mercadorias e serviços 5.543 5.826 5.371
  Outras receitas 136 183 17
  Provisão para perdas ao valor recuperável (54) (37) (37)
Insumos adquiridos de terceiros (inclui: ICMS, IPI, PIS e COFINS) (3.409) (3.766) (3.142)
  Custos de mercadorias vendidas e serviços prestados (2.600) (2.658) (2.062)
  Materiais, energia, serviços de terceiros e outros (809) (1.107) (1.080)
Valor adicionado bruto 2.216 2.207 2.357
  Depreciação e amortização (309) (348) (363)
Valor adicionado líquido pela entidade 1.907 1.859 1.994
Valor adicionado recebido em transferência 734 627 524
  Receitas financeiras 721 610 508
  Equivalência patrimonial 13 17 17
Valor adicionado total a distribuir 2.641 2.486 2.518

 

DVA (R$ milhões) 2015 2016 2017
Total a ser distribuído 2.641 2.486 2.518
  Pessoal 1.051 1.166 1.183
  Impostos, taxas e contribuições 746 884 1.036
  Juros e aluguéis 643 283 290
  Aluguéis 87 94
  Dividendos e juros sobre o capital próprio 45 32
  Resultado líquido do exercício 155 120 (84)

 

DVA (%) 2015 2016 2017
Total a ser distribuído 6.641 2.486 2.518
  Associados 40% 47% 47%
  Governo 28% 36% 41%
Remuneração de capital de terceiros* 24% 11% 15%
Acionistas 2% 1%
  Resultado líquido do exercício 6% 5% -3%
*inclui Juros e Alugueis
29